Projeto Parto Adequado recebe premiação da FGV

De 16 de outubro de 2019Notícias

O Projeto Parto Adequado é um dos vencedores do II Prêmio FGV Direito Rio – Melhores Práticas em Regulação. A iniciativa desenvolvida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) recebeu, no dia 14 de outubro, menção honrosa na categoria Proteção aos Direitos dos Consumidores ou Usuários durante o II Seminário do Projeto Regulação em Números, na sede da Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio de Janeiro.
O Hospital e Maternidade Santa Isabel (HMSI) foi pioneiro, no Brasil, na implantação do parto humanizado em todos os nascimentos com o Projeto (atualmente Programa) Melhor Parto, em 2013, com base na Ciência da Melhoria do Institute for Healthcare Improvement (IHI), de Boston, Estados Unidos, e em concordância com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde. Sua experiência antecipou em dois anos e inspirou a criação do Parto Adequado, do qual o HMSI também faz parte.

“A premiação recebida pela ANS atesta que, há quase sete anos, o Hospital e Maternidade Santa Isabel escolheu o caminho correto no que se refere à qualidade e à segurança da atenção obstétrica. Fomos pioneiros e nos antecipamos à adoção do projeto em todo o país, que atualmente está implantado em centenas de hospitais e é adotado por dezenas de operadoras de saúde”, afirma o coordenador do HMSI, Dr. Jeyner Valério Júnior.

Com o parto humanizado, mães e filhos estreitaram o contato e puderam ficar juntos a partir do nascimento. A equipe médica foi unificada, garantindo plantão presencial com médico obstetra, pediatra e anestesiologista 24 horas por dia. Foram feitos investimentos na equipe multidisciplinar, principalmente enfermeiras (os) obstetras, visando a uma equipe completa integralmente voltada para a humanização do parto, acolhimento, conforto e segurança à mulher e ao bebê.

Além de uma equipe capacitada, o HMSI também fornece a melhor infraestrutura às suas pacientes: instalações modernas, com suíte PPP (que se modifica conforme a necessidade da paciente: pré-parto, durante o parto e pós o parto); bola de pilates, estrado para agachamento, banqueta própria para o parto (que permite que o acompanhante abrace a paciente durante o parto), sonar à prova d´água para permitir o parto dentro da água, cardiotocografia, entre outros.

Sobre o Projeto

O Parto Adequado visa apoiar a implantação de ações baseadas em evidências científicas, para aumentar a qualidade e a segurança da atenção à gestante, reduzindo o percentual de cesarianas desnecessárias e os riscos delas decorrentes.

Atualmente, o setor suplementar de saúde registra um número alarmante de cesarianas: 83% do total de partos (dados de 2018). Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), taxas de cesárea maiores que 10% não estão associadas com redução de mortalidade materna e neonatal, não havendo justificativa clínica para a realização de tantas cirurgias.
O projeto utiliza a metodologia conhecida como ciência da melhoria, buscando oferecer a mulheres e bebês o cuidado certo, na hora certa, ao longo de toda a gestação, durante o trabalho de parto e no pós-parto.

Desde a criação do Parto Adequado, em 2015, até maio de 2019, a estimativa é que o projeto tenha evitado mais de 20 mil cesarianas desnecessárias.

*Com informações da ANS

Deixe seu comentário