Mostrar Aviso
Category

Notícias

Alojamento conjunto mamãe e bebê

By Notícias No Comments

Para aprofundar ainda mais o vínculo entre mamãe e bebê e favorecer o aleitamento, o Hospital e Maternidade Santa Isabel oferece alojamento conjunto materno infantil. Isso significa que, logo após o parto, o bebê, com boas condições de saúde, permanece no quarto junto com a mãe.

Feira do Amendoim faz campanha de doação para reforma de apartamentos do SUS no HMSI

By Notícias No Comments

Os organizadores da Feira Nacional do Amendoim, que acontece até 12 de agosto na Estação de Eventos Cora Coralina, estão promovendo campanha de arrecadação de recursos para o Hospital e Maternidade Santa Isabel – HMSI.

A Campanha foi idealizada pelo presidente da Feira, Professor Pedro Luís Alves e tem o objetivo de levantar doações para reforma dos apartamentos da ala SUS do Hospital. O valor necessário para a reforma de cada apartamento é de R$ 30 mil. Empresas e pessoas físicas podem doar qualquer quantia.

Os organizadores reservaram um estande para o HMSI no recinto da Feira, onde também podem ser doados alimentos não-perecíveis.

“Em nome do presidente da Feira Nacional do Amendoim, Professor Pedro Luís Alves, um grande amigo do nosso Hospital, agradecemos a todos que tornaram possível esta Campanha e convidamos a todos aqueles que prestigiam esse grande evento, para que façam suas doações”, afirma o provedor do HMSI, Dr. Nobile Kosmos Malago.

Parto Humanizado

By Notícias No Comments

O Hospital e Maternidade Santa Isabel pratica o Parto Humanizado e estimula as mamães a amamentarem seus bebês já no momento do nascimento, na sala de parto. Dar o peito logo que o bebê nasce, aumenta os laços afetivos, diminui o sangramento da mãe após o parto e contribuiu para que o útero voltar mais rápido ao normal. O colostro é o primeiro leite que sai do peito e é produzido nos primeiros dias após o parto. É importante que o recém-nascido mame o colostro, porque ele contém tudo o que o bebê necessita nos primeiros dias.

Aleitamento Materno: saúde para a mãe, saúde para o bebê!

By Notícias No Comments

O Hospital e Maternidade Santa Isabel também faz parte da campanha Agosto Dourado foi criada em 1992 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). A cor dourada foi escolhida porque o leite materno é padrão ouro de qualidade.

O leite materno sacia a fome e impulsiona o viver. O aleitamento materno deve ser exclusivo até os 6 meses de vida e complementado com alimentos variados até os 2 anos ou mais da vida da criança.

Casal doa refrigerador para conservação de medicamentos do Hospital e Maternidade Santa Isabel

By Notícias No Comments

O Hospital e Maternidade Santa Isabel – HMSI, recebeu no dia 26 de julho, refrigerador, doado pelo casal Sílvio José Pereira e Rosemara de L. Stoque Pereira. O refrigerador será utilizado para o acondicionamento de medicamentos que precisam ser mantidos sob temperatura controlada. A doação atende a uma grande necessidade do Hospital. A doação foi recebida pela assistente de Relacionamento com o cliente, Renata Assirati; a farmacêutica coordenadora, Mariana Carolina Senem Penteado e pelo comprador André Rodrigues Passatuto.

 

Nota Ministério da Saúde

By Notícias No Comments

NOTA

O Ministério da Saúde (MS) – por intermédio da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde – SAES e da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde – SCTIE; o Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR); a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC); a Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI); e a Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (SOBRICE) orientam por meio desta Nota a racionalização do uso de contraste iodado para exames e procedimentos médicos, até que ocorra a normalização do fornecimento do produto.

A escassez de meios de contraste é global e de grande preocupação. A interrupção nas cadeias de suprimento, produção e distribuição ocorre principalmente por consequência da pandemia da COVID-19, na China, uma vez que medidas de “lockdown” foram decretadas localmente, impactando na cadeia de produção das indústrias chinesas. Uma das principais empresas afetadas, o laboratório GE He althcare, informou, em nota, que a fábrica de Xangai havia sido afetada, mas que, desde o início do mês de junho, retomou em 100% a capacidade de produção. No entanto, devido à escassez no mercado internacional, ainda há a dificuldade no atendimento e normalização da relação entre oferta e demanda. Dessa maneira, a fim de auxiliar e minimizar os danos relacionados à situação apresentada, faz -se necessário otimizar o uso dos meios de contraste, observando-se as seguintes recomendações gerais:

  • Avaliação do estoque disponível de meio de contraste iodado;
  • priorizar procedimentos em pacientes de maior risco e em condições clínicas de urgência e emergência;
  • evitar qualquer desperdício; e
  • considerar a utilização de métodos diagnósticos alternativos, quando possível.

Recomendações específicas:

  • Avaliação pela instituição e pelo serviço de imagem do histórico de número de exames de tomografia computadorizada (TC) que utilizem meio de contraste iodado por mês, cuja indicação seja de emergência/urgência* – demanda mensal:
  • reservar a quantidade de meio de contraste iodado para indicações de
    emergência/urgência, a partir do cálculo histórico da demanda mensal;
    o restante do meio de contraste iodado disponível na instituição/serviço deverá ser
    utilizado de acordo com a indicação médica;
    ● em indicações eletivas ou exames não urgentes, na dependência de meio de contraste
    disponível, sugere-se reduzir o volume de meio de contraste, desde que não comprometa a
    qualidade final e a acurácia do exame;
    ● sempre que possível, adaptar o volume do meio de contraste ao peso do paciente;
    ● utilizar sempre flush de soro fisiológico (cerca de 50 ml) logo após a administração de contraste
    iodado por via endovenosa, para evitar que pequenas quantidades de contraste fiquem
    acumuladas em veias do braço, melhorando a sua eficiência;
  • Sempre que possível, desde que não comprometa a acurácia do exame, realizar a TC sem contraste** ou substituir por outros métodos propedêuticos com acurácia diagnóstica semelhante (ultrassonografia, ressonância magnética ou de medicina nuclear)***;
  • não utilizar meio de contraste iodado por via oral, para TC, exceto se extremamente indicado, para casos selecionados;
  • em casos de exames por hemodinâmica ou no bloco cirúrgico, realizar a abertura gradual dos frascos de meio de contraste; e
  • não violar boas práticas assistenciais em casos de frascos abertos e meio de contraste iodado não utilizado. Sempre verificar com o fabricante questões relacionadas a armazenamento adequado, tempo de utilização desde a abertura do frasco e utilização de sistemas anti-refluxo

Sobre as recomendações para o uso racional em procedimentos intervencionistas:

  • Priorizar pacientes de maior risco cardiovascular e casos de urgência e emergência;
  • minimizar o uso de contraste sem comprometer a qualidade de exame;
  • em casos de procedimentos terapêuticos que possam ser realizados utilizando-se a guia de um método adjunto, dar preferência àquele(s) que não utilize(m) contraste;
  • abreviar e racionalizar protocolos técnicos para reduzir a quantidade de contraste utilizado;
  • aumentar a diluição do contraste, quando possível;
  • considerar a utilização de contraste com CO2, quando possível; e
  • adequar a agenda de procedimentos eletivos de acordo com o estoque disponível e o histórico de utilização.

Em conclusão, considerando o grave risco de desabastecimento de meios de contraste imprescindíveis para a realização de exames e procedimentos no âmbito da saúde, solicitamos o apoio das mais diversas organizações desse setor, para que haja a sensibilização sobre a importância de se otimizar o uso desses insumos, considerando as recomendações aqui apresentadas, até que se normalize o fornecimento desses produtos.

Brasília-DF, 12 de julho de 2022

MAÍRA BATISTA BOTELHO
Secretaria de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde (SAES/MS)

SANDRA DE CASTRO BARROS
Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (SCTIE/MS)

VALDAIR FRANCISCO MUGLIA
Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR)

JOÃO FERNANDO MONTEIRO FERREIRA
Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC)

RICARDO ALVES DA COSTA
Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI)

JOAQUIM MAURÍCIO DA MOTTA LEAL FILHO
Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (SOBRICE)