Hospital e Maternidade Santa Isabel abre cadastro para doulas

By 12 de setembro de 2018Melhor Parto, Notícias

As doulas são escolhidas livremente pelas gestantes para acompanhamento, sem vinculação com o Hospital. O cadastramento deve ser realizado no próprio HMSI e os documentos necessários podem ser consultados no site do hospital.

 

O Hospital e Maternidade Santa Isabel de Jaboticabal – HMSI abriu o processo de cadastramento de doulas, mulheres capacitadas para oferecer apoio continuado a outras mulheres, a seus companheiros e familiares, proporcionando conforto físico, apoio emocional e suporte cognitivo antes, durante e após o nascimento de seus filhos.

As doulas são habilitadas em curso para esse fim que oferece apoio físico, informacional e emocional à pessoa durante seu ciclo gravídico puerperal e, especialmente, durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato, através de suporte contínuo, visando uma melhor evolução desse processo e o bem-estar da parturiente.

As profissionais são escolhidas livremente pelas gestantes e parturientes e visam prestar suporte emocional contínuo à gestante no ciclo gravídico puerperal, favorecendo a evolução do parto e bem-estar da gestante. São profissionais que possuem certificação ocupacional em curso para essa finalidade. As doulas não possuem nenhum vínculo de trabalho com o hospital.

Para que elas possam atuar no âmbito do HMSI será necessário que façam seu cadastro no próprio hospital. Para saber quais são os  documentos necessários para fazer o cadastramento, basta acessar o site do HMSI (hmsijaboticabal.com.br/maternidade-hmsi).

O cadastramento visa, principalmente, assegurar que todas as profissionais que quiserem atuar junto ao HMSI tenham a formação e o preparo adequado, o que reforça o papel da instituição na qualidade e segurança do atendimento das gestantes e neonatos em todos os seus procedimentos de saúde.

Além disso, o cadastro oportuniza o primeiro contato da doula com a equipe médica e de enfermagem, o que é considerado muito importante, uma vez que estarão lado a lado no momento do trabalho de parto e nascimento do bebê.

Com a admissão de doulas no momento do parto, o Hospital e Maternidade Santa Isabel de Jaboticabal atende a nova diretriz instaurada pelo Ministério da Saúde em março de 2017, contribuindo para tornar o atendimento às gestantes mais humanizado. O HMSI foi pioneiro em todo o país na redução de altos índices de intervenções consideradas desnecessárias, entre as quais cesarianas e episiotomias.

“A atuação da doula é uma das estratégias de humanização da assistência ao parto e nascimento. O acesso das doulas agora é garantido no HMSI e queremos que todas as gestantes tenham acesso a este direito, proporcionando uma assistência de qualidade e um atendimento humanizado. Com o suporte de uma doula, o parto pode tornar-se um momento de empoderamento e de confiança no corpo. A doula não faz parto, mas definitivamente ela faz parte do parto”, ressalta o Dr. Jeyner Valério Júnior, coordenador do HMSI. O Hospital tem sido referência na humanização do parto e seu modelo de atenção às mães e bebês vem sendo apresentado em eventos em todo o país.

Como resultado de pesquisas científicas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde reconhecem a enorme contribuição da presença das doulas nesse momento tão significativo e de tão profundas repercussões futuras. O parto evolui com maior tranquilidade, rapidez e com menos dor e complicações tanto maternas como fetais. Torna-se uma experiência gratificante, fortalecedora e favorecedora da vinculação mãe-bebê.

 

As diretrizes do Ministério da Saúde para o parto normal que são respeitadas pelo HMSI

  • Permitir à mulher a posição que ela preferir durante o parto, visando o conforto;
  • Presença de doulas e de acompanhante;
  • Dieta livre, com o fim do jejum obrigatório;
  • Métodos de alívio para a dor, como massagens, banhos quentes e imersão na água;
  • Direito à anestesia e à reaplicação dela;
  • Contato pele-a-pele da criança com a mãe imediatamente após o parto;
  • Direito à privacidade da gestante e da família;
  • Estímulo à amamentação.

 

Métodos evitados pelo HSMI em acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde

Procedimentos que não levam em consideração os aspectos emocionais e culturais das mães e podem colocar a vida da gestante e do bebê em risco e são evitados:

  • Episiotomia (corte no períneo);
  • Uso do hormônio ocitocina para acelerar a saída do bebê;
  • Cesariana;
  • Aspiração do nariz e da faringe do recém-nascido;
  • Técnica conhecida como “manobra de Kristeller”, quando se pressiona o útero da mulher para ajudar a expulsão da criança;
  • Uso do fórceps;
  • Lavagem intestinal antes do parto;
  • Raspagem dos pelos pubianos;
  • Rompimento da bolsa;
  • Corte precoce do cordão umbilical (os médicos deverão esperar de 1 a 5 minutos ou até cessar a pulsação).

Fontes: HMSI e Ministério da Saúde

 

Para saber mais:

O que a doula faz?

Antes do parto a ela orienta o casal sobre o que esperar do parto e pós-parto. Explica os procedimentos comuns e ajuda a mulher a se preparar física e emocionalmente para o parto, das mais variadas formas.

Durante o parto a doula funciona como uma interface entre a equipe de atendimento e o casal, ajuda a parturiente a encontrar posições mais confortáveis para o trabalho de parto e parto, mostra formas eficientes de respiração e propõe medidas naturais que podem aliviar as dores, como banhos, massagens, relaxamento, e etc.

Após o parto ela faz visitas à nova família, oferecendo apoio para o período de pós-parto, especialmente em relação à amamentação e cuidados com o bebê.

A doula não substitui o pai (ou o acompanhante escolhido pela mulher) durante o trabalho de parto, muito pelo contrário. O pai muitas vezes não sabe bem como se comportar naquele momento. Não sabe exatamente o que está acontecendo, preocupa-se com a mulher e acaba esquecendo de si próprio. Não sabe necessariamente que tipo de carinho ou massagem a mulher está precisando nessa ou naquela fase do trabalho de parto.

 

O que a doula não faz?

A doula não executa qualquer procedimento médico, não faz exames, não cuida da saúde do recém-nascido. Ela não substitui qualquer dos profissionais tradicionalmente envolvidos na assistência ao parto. Também não é sua função discutir procedimentos com a equipe ou questionar decisões.

 

Qual é a formação necessária para ser doula?

Existem dois caminhos básicos. O mais comum é fazer um curso e depois começar a praticar. Outra possibilidade é fazer o caminho auto didático, baseado em leituras e atendimentos, mais adequado para quem já tem contato prévio com gestantes (por exemplo professoras de yoga e terapeutas corporais).

Fonte: www.doulas.com.br

Compartilhar

Join the discussion One Comment

  • Elisabete Boer disse:

    Estou emocionada e extremamente feliz com o posicionamento do HMSI. Parabéns pela iniciativa. Certamente essa ação será um divisor de águas na forma de gerar, parir e nutrir de Jaboticabal.

Leave a Reply